Páscoa

Quando eu morrer, se eu morrer, não conte nossos segredos.

Ninguém deve saber, querida, nem mesmo as almas…

Porque vou renascer e criar, vou atrás do que não foi permitido da última vez.

Evite principalmente aquela cena em que, ao contar ao seu ouvido, chorei, molhei seu colo depois da catarse.

Este segredo precisa ser revelado por mim.

Quando eu voltar, minha cara,  vou abri-lo e deixá-lo à mostra.

Pleno, completo, doce.

Só então vamos comemorar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s