Azul

Sou estrangeiro no país em que habito. Em qualquer país que habite.

Acabei de chegar do pântano e não entendo sua voz, nem seus sentimentos. 

Não grite comigo, fale, mostre, demonstre. Assim, observando, posso repetir seu gesto; e talvez eu compreenda.

Repita, repita muitas vezes, vezes sem conta… eu posso aprender assim.

Essa sua linguagem, estes seus olhos nos olhos, eu não alcanço.

Deixe-me ficar quieto, distante, em mim.

Preciso de você. 

Se eu não aprender com você, você aprenderá comigo. E muito.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s