À galega

Fato: Não há lugar mais importante do polegar que aquele que está machucado. Tudo o que se vai fazer parece precisar justamente daquele pedacinho de dedo que está estropiado. E por menor que seja o ferimento, o curativo acaba sendo grande e medonho, porque a ponta dos dedos com sua forma um tanto cônica não ajuda na construção de qualquer proteção. 

Fato: Se você está com um desastroso curativo no polegar estará fadado a precisar daquele dedo para atividades comuns em que a gente nem percebe que usou em outras circunstancias. É tudo tão automático nessa nossa vida de eficientes físicos…

Mas fica a dor ocasional de quando encostamos a ferida  em um objeto qualquer, para nos lembrar que temos muita sorte – pois não perdemos artefato tão fundamental – e que depois de algum tempo tudo estará sadio de novo e pronto para a próxima atividade à galega.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s