Festa de São João

Estamos em meados de julho e este ano ainda não fui a uma festa junina.

Não que eu precise daquelas calorias todas, mas o clima é muito gostoso e nostálgico.

No ano passado fui a uma delas… Fiquei muito mal impressionada com as músicas. O som altíssimo, um pagode desafinado e eu ali, louca, pedindo para ir embora.

Lembro-me das primeiras festas juninas, quando a rua de paralelepípedos era fechada para se fazer a fogueira bem no meio do quarteirão. Era a festa mais pura, uma lembrança boa da lenha crepitando e o friozinho do sertão mineiro, que pegava leve.

Também me lembrei de outra festa, eu deveria ter 13 -14 anos e aconteceu no pátio de um colégio marista. Eu havia convidado um amigo querido, que conhecera e que sempre encontrava pelas ruas naqueles “footings” tradicionais. 

Era comum que ele me pagasse um sorvete ou uma coca-cola e eu gostava de  sua companhia. Era muito alto, muito magro, muito cabeludo, e sua voz era lamentável. Ele era muito feio! Mas não tinha importância, gostava dele de verdade.

Pois bem, havíamos combinado de nos encontrar na festa e já fazia uns quarenta minutos que eu esperava, tomando um chá de cadeira.  No alto-falante, as músicas eram de primeira qualidade.

” Nosso amor que eu não esqueço e que teve seu começo numa festa de São João”…

Então ele chegou. E eu fiquei feliz de novo, deixei para lá a melancolia e nos divertimos a valer. 

Ganhei pipoca, amendoim e um beijo.

Décadas depois, agora que me veio essa lembrança querida, só posso constatar que não me esqueci daquele primeiro amor.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s