Desmazelo

Restou um cachorro velho, em uma casa velha jogada às traças que o tempo trás. Restaram as mentiras, os desmazelos, a tristeza infinita… E também uma lanterna sem luz, afogada em mágoas, a água parada nos mangues;  os mosquitos, os mosquitos… E depois a febre, a dengue e a pobreza. De onde tinha vindo aquela força toda que ficou tão pálida depois da ventania? Ninguém soube informar. Mas a solução talvez fosse criar, recriar; e remoçar. Lutar e lutar. E sobreviver…

Mas precisa?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s