Distração

Fui comer, não tinha pão. Fui pescar, e nada. Então catei umas folhinhas tenras no quintal, para distrair o queixo e apaziguar o oco. Parece que eram do oculto. Fiquei distraída, batendo os cantos dos ossos nos cantos da mobília. E nesse frio… Desisti por um tempo, fui para baixo do edredom. E ali no quentinho, comecei a maquinar umas ideias… E por encanto fiquei saciada. O frio também distrai.

Cisma

Cismou que podia ser feliz. E era… Boquiaberto, no susto das lambadas da vida, insistia. Era abusado, pouco reflexivo, quase avoado; achava que se não desse importância nada teria importância.

Quando a última lambada veio e ele caiu, desencantado, no fundo, ainda acreditava, que se não era mais feliz, pelo menos tinha sido.