Cisma

Cismou que podia ser feliz. E era… Boquiaberto, no susto das lambadas da vida, insistia. Era abusado, pouco reflexivo, quase avoado; achava que se não desse importância nada teria importância.

Quando a última lambada veio e ele caiu, desencantado, no fundo, ainda acreditava, que se não era mais feliz, pelo menos tinha sido.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s